top of page

UMA DÉCADA DA BOLA DA FELICIDADE: TRANSFORMAR VIDAS É TRANSFORMAR O MUNDO NUM LUGAR MELHOR


A "Bola da Felicidade" é uma proposta de reencontro com a nossa criança interior, com as histórias que nos marcaram, as alegrias guardadas e lembranças esquecidas; uma caça ao tesouro! Através do manuseio e construção da bola, bem como do bordado em sua superfície, novas trilhas existenciais vão desabrochando, como flores num jardim, pois a fonte da felicidade está dentro de nós!

As grandes realizações nascem de pequenos projetos sonhados na calada da noite, onde ninguém nos vigia, pune ou reprime. São aqueles passos que precisamos dar em nossas vidas, seguindo apenas as certezas do coração de que estamos indo na direção da coisa certa, ou seja, o caminho da felicidade.


Contexto Histórico:

Um dia, por acaso, ganhei de presente de uma professora da Faculdade de Educação da Unicamp uma bolinha bordada que, ao vê-la, fiquei encantada. Logo quis saber quem tinha feito a bola e quem tinha bordado. Enfim, a bolinha foi um daqueles presentes inesquecíveis, únicos e inseparáveis, tanto que passei a carregá-la na minha bolsa sempre, a partir daquele dia!

Misteriosamente, algum tempo depois, fui convidada para desenvolver um projeto de inclusão social através do bordado na Pró-Reitoria de Extensão Universitária na mesma universidade. A ideia de criar uma prática manual inspirada naquela bola que havia ganhado de presente foi a primeira e única ideia que tive naquele momento desafiador!


Após ser apresentado e aprovado pelo pró-reitor e seus assessores por unanimidade, foi realizada a primeira "Oficina da Bola da Felicidade" na ONG MAE – MARIA ROSA/CAMPINAS - SP, conforme carta de agradecimento:


Em primeiro lugar quero agradecer aos seus coordenadores por libera-la para nos oferecer uma oficina que foi de extrema importância para valorização da nossa equipe de trabalho.

Em nome de todos os funcionários, agradecer pela manhã maravilhosa que pode nos proporcionar, e nos tornar totalmente iguais independente da área de trabalho.

Portanto, pensando no que fizemos e sentimos, percebemos que os momentos de história que realizamos juntos foram mais grandiosos. Fazendo nos pensar na nossa infância, que a tempos não fazíamos, pensar em nos mesmos que cuidamos de tantas vidas e muitas vezes nos esquecemos de nós. Gostaríamos de dar continuidade nessa oficina para obtermos novos frutos.


Regina Ferraz

Coordenadora, Movimento 

Assistencial Espirita Maria Rosa



 


8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page